Wicca

 

Desde os longínquos tempos, a “bruxaria” existe. Diziam que em cada árvore seca habitava um “bruxo”.  Com o fluir dos dias, mais seguidores se incorporaram ao clã e, o mais antigo credo do mundo, considerada “A Arte dos Sábios”, cresceu.  

Assim, a igreja católica condenou a “feitiçaria”, por entender que ela carregava uma simbologia que agredia ao cultuar deuses e entidades. Muitos “bruxos” foram queimados e poucas pessoas falavam a respeito por temerem o mesmo fim.

Séculos depois, o grupo se  estruturou, ganhou vulto e instituiu uma religião conhecida por “Witchcraft”(bruxaria).

Somente por volta dos anos 60,  do século passado, o termo “Wicca”  ou “A Arte“, ganhou notoriedade através de Gerald Brosseau Gardner , naturista, estudioso da “bruxaria” dos seus antepassados e adepto de terapias do Sol.

Sendo assim, para uma melhor compreensão, Wicca tornou-se  uma religião de crença neopagã, ou seja, uma mistura de religiões contemporâneas,  apresentando o princípio monista, o culto dualista . E, segundo Alex Sanders,  Wicca  se resumiu numa religião politeísta, com sua proposta em respeitar todas as formas de vida.

A religião Wicca não faz magia negra, não prega  o mal, apenas busca a harmonização interior associada aos elementos da natureza e nos rituais, eles cultuam dois “deuses”, uma divindade se manifesta, quase sempre na forma feminina, que é a expressão da sabedoria e da fertilidade e a outra, ostenta-se na forma masculina,  com uma aparência mesclada de homem e bode numa representação da criatividade intelectual.

Geralmente os Wiccas atuam em grupos e aquele que escolhe ficar isolado dos demais, leva o nome de “bruxo solitário”.  

Para um melhor entendimento sobre Wicca, coloco aqui, depoimentos de dois escritores:

“Wicca é uma religião de veneração da Natureza e da Divindade, ambos contendo os aspectos femininos e masculinos. É encontrada nas raízes espirituais das crenças e práticas europeias pré-cristãs” (Grimassi)

“O Código Moral é simples e benevolente: “sem prejudicar ninguém, realize a sua vontade“. Ou seja, você é livre para fazer o que quiser, contanto que, de forma alguma, prejudique alguém ou você mesmo. Existem algumas virtudes que devem estar presentes nos seus adeptos: “humildade, compaixão, poder, força, reverência, honra, alegria e beleza”. A natureza Wicca se apoia na liberdade de sua consciência, nada rejeita do ser humano como pecaminoso ou intrinsecamente mau”(Monica Buonfiglio)

Os seguidores de Wicca usam um pentagrama que traz a simbologia  do mundo visível e invisível.

Os Wiccas amam Jesus Cristo, respeitam todas as religiões e também não praticam cultos satânicos ou sacrificam animais. 

 

2 Comentários

  1. Rogério Mota

    Você acrescentou com este texto. Sempre navego no seu site. Parabéns!

    • A matéria é extensa. Tentei simplificar e espero com este feito não ter condensado demais!! Um beijo no coração e agradeço demais pelo carinho e atenção!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code