Dançando Sempre

Baralho Cigano cabaret“A dança alegra a alma, revigora a cútis, tonaliza os cabelos e embeleza o corpo”. (CASA)

Em 29 de abril é comemorado o Dia  Internacional da Dança, em homenagem ao grande bailarino moderno, Jean- Georges Noverre.

Símbolo do ato da criação. Em muitas culturas a Dança estabelece ligação entre o céu e a terra para pedir chuva, fertilidade, graças. O surgimento da Dança se deu na Pré-História, os diferentes sons dos atritos causados pelas pedras ao acender o fogo, os paus que utilizados na caça, as palmas, todos os tipos de sons, animavam os passos dos homens das cavernas. Este povo primitivo dançava na ocasião da colheita e da caça, nos rituais, nos casamentos, no culto à  Natureza, na tristeza e na alegria.

No Egito havia a dança para homenagear Osíris e na Grécia a Dança era usada para acompanhar os jogos olímpicos. A Dança quase sempre é coreografada e pode ser acompanhada de música ou não. No Ballet Clássico, a Dança narra uma história e na Dança Moderna  e  na Dança de Rua, traz um apelo social.

No Período Renascentista surgiu o Ballet e o Sapateado.

No século XIX, a Dança surgiu formando um casal, como a Valsa, o Tango…no século XX, apareceu o Rock que mexeu na estrutura .

O significado da Dança transcende  a expressão artística.

Em 1920, a Dança foi introduzida como uma matéria curricular em várias escolas do país.

Feliz daquele que pode dançar, se expressar através da Dança!  Junto ao Teatro e a Música, a Dança se destaca como umas das principais atividades das Artes Cênicas da antiguidade.

O  Samba, de raízes africanas, desenvolvido e bem aprimorado no Brasil, nos estados da Bahia, Maranhão, Minas Gerias,  Pernambuco e São Paulo.  E no século XIX,  trazido pelos negros das senzalas, estourou no Rio de Janeiro como a maior expressão urbana, sendo impossível esquecer que o Samba é classificado como uma das principais atrações do nosso país, pela sensualidade dos movimentos, criatividade e graciosidade dos passistas.

Inúmeras danças surgiram, cada qual com seu nome e sua expressão.

Abaixo um poema que expressa o que é a Dança:

“A dança e a alma

A dança? Não é movimento
súbito gesto musical
É concentração num momento,
da humana graça natural

No solo não, no éter pairamos,
nele amaríamos ficar.
A dança-não vento nos ramos
seiva, força, perene estar
um estar entre céu e chão,
novo domínio conquistado,
onde busque nossa paixão
libertar-se por todo lado…

Onde a alma possa descrever
suas mais divinas parábolas
sem fugir a forma do ser
por sobre o mistério das fábulas.”

Carlos D. de Andrade

 

2 Comentários

  1. Lourdinha

    Dançar …dançar…libera geral!
    Adorei o poema! Bjs Cleo

    • Linda…como está? Achou o poema interessante? Fico feliz que tenha apreciado!! Dançar é tudo de bom!! Saudades suas!! Beijos e luz!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code